superfícies

ultimamente ando reparando
em minhas superfícies.
manchas roxas me aparecem,
assim, do nada,
nas pernas, nos flancos, nos quadris.
da noite para o dia elas aparecem.
minha pele, antes branca apenas
hoje em dia tem tons de roxo
e também é toda salpicada,
sapecada de muito sol errado,
já com manchas senis e rugas,
pelo fato de eu ser desleixada
– detesto cremes e derivados.
sempre tive muitas pintas,
tive sempre algumas sardas,
nos verões ficava cor-de-rosa
ou vermelha, um pimentão.
com sorte depois não descascava.
ando reparando agora que prefiro
aquietar-me à sombra
e dentre tantas cores e padrões,
entre um calorão e outro,
talvez resolva aprofundar um pouco
– tentar talvez amadurecer de vez –
e parar de olhar apenas
para as minhas superfícies.
e as dos outros.